18º Simpósio Paranaense de Cerâmica (Poéticas da Cerâmica: mudanças, permanências e desafios da contemporaneidade), Museu Oscar Niemeyer, Curitiba




18º Simpósio Paranaense de Cerâmica
Dias 8 e 9 de novembro de 2012

 Inscrições abertas para o 18° Simpósio Paranaense de Cerâmica

PROGRAMAÇÃO:
Mesa: Processos Poéticos do Artista Visual 

Evento será realizado nos dias 8 e 9 de novembro de 2012 e contará com a participação de ceramistas nacionais e do exterior

A Secretaria da Cultura do Paraná (SEEC), por meio do Museu Alfredo Andersen, promove o 18º Simpósio Paranaense de Cerâmica, com a realização de palestras, conferências, exibição de filme, relatos de experiência e demonstração de profissionais do Brasil e exterior. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site da SEEC (www.cultura.pr.gov.br). O evento será realizado no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba (PR).

O tema do simpósio é “Poéticas da Cerâmica: mudanças, permanências e desafios da contemporaneidade”. A ideia é que o evento viabilize a reflexão sobre o processo poético dos artistas visuais que utilizam a cerâmica nos seus trabalhos, com o intuito de pensar o lugar da arte cerâmica dentro do campo das artes plásticas. Os participantes poderão trocar experiências, além de refletir sobre o tema.

A participação do mexicano Gustavo Pérez é uma das atrações do evento. O artista irá demonstrar algumas das técnicas que utiliza para trabalhar com cerâmica. Pérez é formado pela Escola de Artesanato e Design da Universidade do México e membro da Academia Internacional de Cerâmica. Realizou diversas exposições que foram apresentadas nos Estados Unidos, Cuba, Japão, Alemanha, França e Espanha. 

A norte-americana Anna Calluori Holcombe, mestre em Cerâmica pela Louisiana State University, também participa do Simpósio com duas conferências sobre o auxílio da tecnologia 3D para os ceramistas e o ensino para futuros profissionais. Atualmente Anna é diretora da Escola de Artes e História da Universidade da Flórida.

A docente do curso de Escultura na Universidade de Lisboa, Virgínia Fróis, fará uma palestra sobre o trabalho individual e coletivo do ceramista. Ela pesquisa etnocerâmica em Cabo Verde e dirigiu a recuperação de esculturas em terracota, no Mosteiro de Alcobaça (Portugal). Outros profissionais de destaque participam do evento. É possível conferir a programação completa em www.cultura.pr.gov.br

 


Cerâmica
O trabalho do homem com a argila remete há pelo menos cinco mil anos e é uma das formas mais antigas de processo poético. Utilizada para a confecção de objetos utilitários, decorativos e de arte, a argila é uma matéria-prima que ultrapassa fronteiras geográficas, culturais e de classe social.


Local: 
Museu Oscar Niemeyer (auditório Poty Lazzarotto – Rua Marechal Hermes, 999. Curitiba-PR)
Inscrições gratuitas e programação: www.cultura.pr.gov.br
Vagas limitadas (os participantes receberão certificado mediante presença mínima de 75% da carga horária).
Tradução simultânea para as palestras internacionais.
Informações: (41) 3222-8262

- - -
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Cultura do Paraná
Bianca Sobieray / Diogo Cavazotti
(41) 3321 4729 / 3321 4722
imprensa@seec.pr.gov.br
www.cultura.pr.gov.br

Maestros com escuela "ANGEL GARRAZA", sala de exposiciones "Enrique Cook" del Taller-Escuela Cerámica de Muel




Angel Garraza
Invierno, primavera, verano y otõno, 2011
8 piezas, 380 cm altura


Arquivo Aberto_Sérgio Porto 1983 - 1997, Rio de Janeiro



A Prefeitura do Rio/Cultura apresenta a exposição

Arquivo Aberto
Sérgio Porto 1983 - 1997

Curadoria de Marta Mestre

Inauguração 25.10.2012 às 19h
Exposição 26.10.2012 - 26.11.2012


O Espaço Cultural Sérgio Porto foi um dos lugares mais importantes na programação e divulgação de arte contemporânea no Rio de Janeiro, durante a década de 1990. Muitos artistas brasileiros que têm carreiras consolidadas a nível nacional ou internacional deram aqui os "primeiros passos", realizando exposições consideradas seminais nas suas tragetórias.

Arquivo Aberto_ Sérgio Porto 1983 - 1997 resulta de um inquérito sobre este lugar, e sem obter resposta junto da instituição, tenta dar a volta à questão através da "memória individual" e dos registros de época dos artistas, curadores e fotógrafos que aqui intervieram.

Com:
Afonso Tostes, Ana Linnemann, Analu Cunha, Antonio Manuel, Bernardo Stambowsky, Brigida Baltar, Bruce e Norman Yonemoto, Carla Guagliardi, Chacal, Claudia Bekker, Cláudia Saldanha, Cristina Pape, Cristina Salgado, Cyrilla Mozenter, Eduardo Coimbra, Enrica Bernardelli, Ernesto Neto, Everardo Miranda, Fabrice Langradi, Fernanda Gomes, Flávia Ribeiro, Frederico Dalton, Gabriela Machado, Gê Orthof, Gustavo Rezende, Iran do Espírito Santo, João Modé, Jorge Emanuel, José Damasceno, José Rufino, José Spaniol, Ligia Canongia, Lilian Zaremba, Lívia Flores, Luiz Carlos Del Castilho, Márcia X, Marcos Chaves,  Maria Moreira, Maurício Ruiz, Mauro Faingerlernt, Paulo Climachauska, Raul Mourão, Regina de Paula, Ricardo Ventura, Roberto Bethônico, Rosana Palazyan, Rosilda Sá, Tatiana Grinberg, Tonico Lemos, Umberto Costa Barros, Valeska Soares, Vasco Acioli, Vicente de Mello, Waltércio Caldas, Zaven Paré.


Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto
Rua do Humaitá, 163 - Humaitá
Rio de Janeiro
Tel: (21) 2535.3846    

Quarta a domingo das 14 às 22h
Entrada franca

Onde é melhor: no chão ou na árvore? (livro)


O conto Onde é melhor: no chão ou na árvore? tem como cenário o bioma caatinga e narra a história de dois animais, o Soin e o Tatu, que ao se conhecerem conseguiram vencer as diferenças e construir uma bela amizade.


APRESENTAÇÃO

O conto Onde é melhor: no chão ou na árvore? surgiu a partir de um projeto desenvolvido na Escola Municipal de Ensino Infantil e Ensino Fundamental Antônio Tabosa Rodrigues (CAIC), no município de Cajazeiras, Estado da Paraíba, com o intuito de realizar estudos relacionados à riqueza cultural do Semiárido e à biodiversidade da Caatinga.

A prática interdisciplinar, envolvendo estudantes e professores, se deu ao longo do ano letivo, quando os alunos foram motivados a tecer histórias ligadas à sua realidade.

Dentre tantas ricas produções, o conto Onde é melhor: no chão ou na árvore?, escrito coletivamente pelas alunas do 7º ano, Rita de Cássia Freitas e Larissa Tomaz de Oliveira, e a Coordenadora Pedagógica Maria Aparecida de Sousa Silva Sá, foi eleito para compor este livro paradidático, objetivando abrir caminhos para que outras histórias e outros livros com histórias que sejam próximas do cotidiano dos estudantes e das especifidades do Semiárido possam ser editadas e utilizados nas escolas.

Idealizadora do projeto e organizadora do livro:
Aparecida Sá


LANÇAMENTO:

 dia 13 de outubro de 2012 (sábado), 17h

Centro Cultural Banco do Nordeste (BNB)
Rua Cel. José Gomes de Sá, 07 Centro - Sousa/PB
CEP 58.800-050
Fones: (83) 3522.2980 - 3522.2926


link_programação_outubro_BNB_Sousa:


contato:
mcidasa@bol.com.br

13 ARTISTAS CONTEMPORÂNEOS PARAIBANOS, Centro Universitário Maria Antônia - USP, São Paulo



Durante a programação da 17ª Semana de Arte e Cultura da USP será inaugurada a exposição
13 Artistas Contemporâneos Paraibanos,
no Centro Cultural Maria Antonia,
no dia 19 de setembro de 2012, às 20h.

Alice Vinagre
Braz Marinho
Célia Araújo
Chico Dantas
Chico Pereira
Dyógenes Chaves
João Lobo
Luiz Barroso
Manuel Dantas Suassuna
Marcelo Coutinho
Marlene Almeida
Rodolfo Athayde
Rosilda Sá


Curadoria:
Raul Córdula

LINK:

http://mariantonia.locaweb.com.br/prog/releases_2009_em_diante/2012/e_13_artistas_paraibanos.html

LINK:

ANPAP 21° Encontro Nacional >> 2012 << Rio de Janeiro



ANPAP 21° Encontro Nacional >> 2012 << Rio de Janeiro
24 >> 29 Set Vida e Ficção /Arte e Fricção

Programação Geral dos Simpósios >

Instituto de Artes da UERJ – Rua São Francisco Xavier, 524 
Maracanã – Rio de Janeiro – RJ
11º andar – Bloco E - Tel: (21) 2334 0423 – Ramal 25
 
ANAIS ONLINE


Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas

Diretoria Anpap – Biênio 2011-2012


Presidente
Sheila Cabo Geraldo
ART/UERJ

Vice-Presidente
Luiz Cláudio da Costa
ART/UERJ

1º Secretário
Luiz Sérgio da Cruz de Oliveira
IACS/UFF

2ª Secretária
Christine Pires Nelson de Mello
MAV/FASM

1º Tesoureiro
Mauricius Martins Farina
IAR/UNICAMP

2ª Tesoureira
Maria Luiza Pinheiro Guimarães Fragoso
EBA/UFRJ

 

Didonet Thomaz
Coordenadora ANPAPInforma Rio de Janeiro

Christina Machado - MINHA CABEÇA, NOSSA NATUREZA



No processo trabalhado por Christina as articulações entre arte, loucura e cuidado parecem se dar no plano da potencialização de cada eixo. A arte se expande e ganha potência no encontro com este outro, sendo cada vez menos uma atividade individual e autônoma. A loucura pode encontrar espaço de potencialização de saídas, extrapolando o campo de uma patologia da interioridade. E o cuidado se potencializa, saindo do domínio do puramente patológico e da instituição fechada.

A força do encontro se dá pela mistura e porosidade que a artista se permite. Aqui não são um sujeito e um objeto como dois entes separados, onde um vai conceber ou esquadrinhar o outro. Longe de uma certa postura antropológica de encontro com o estranho “lá fora”. Como também não se resume a um
encontro com o estranho “aqui dentro de nós”, como se nos servíssemos da loucura como se serve de um reflexo parado num espelho. A dinâmica e a beleza do processo estão no novo acontecimento, em suas reverberações e no que se gesta como cria disto tudo.

Julia Coutinho, Recife, 2012    


ABERTURA
Sábado, 1º de setembro de 2012, 17h  

LOCAL
GAleria Janete Costa, Parque Dona Lindu
Av. Boa Viagem, S/n, Boa Viagem, Recife - PE
(81) 3355.9832  

BATE-PAPO
Quinta-feira, 20 de setembro de 2012, 17h  

VISITAÇÃO
Até 14 de outubro

Bando de BARRO - convocatória exposição Registro Geral


A proposta desta exposição é, depois de três anos, revisitarmos nossa documentação cerâmica, nos mesmos moldes da exposição Passaporte Cerâmico, que ocorrreu em 2009 na Pinacoteca da Feevale em Novo Hamburgo (ver links abaixo).

Da mesma forma inclusiva em que foi concebida a primeira exposição, Registro Geral contará com bandoleiros veteranos e os recém chegados, além de convidados especiais. Coincidentemente, ocorrerá novamente em Novo Hamburgo, desta vez na Pinacoteca do Espaço Cultural Albano Hartz e posteriormente seguirá para Porto Alegre.


REGISTRO GERAL

A cédula de identidade, também conhecida popularmente por carteira de identidade ou RG, é o documento nacional de identificação civil no Brasil e tem validade em todo território nacional.

Se antes a proposta sugeria a circulação que permite um documento como o passaporte, agora queremos propor uma representação do momento em que nos encontramos em nossa trajetória na arte do barro, com um trabalho que identifique a situação da produção atual do artista ou que procure resumir seu caminho percorrido. Como se apresentássemos a nossa cédula de identidade cerâmica. Quantas vezes já vimos nossas impressões digitais na argila?


Quando:

4 de outubro de 2012, 19h

ESPAÇO CULTURAL ALBANO HARTZ

Passeio Calçadão Osvaldo Cruz, 112 - Novo Hamburgo

Visitação: de 05 a 27 de outubro de 2012.

Horário: de segunda-feira à sexta-feira das 09h às 19h, sábados das 09h as12h


Para participar:

Confirmar a participação com Roberto Bitencourt pelo e-mail roberto.raios@gmail.com até dia 25 de agosto, com as informações básicas:

- Nome como deverá constar no convite, e-mail e telefone de contato


Organização e entrega dos trabalhos:

. A peça poderá ser tridimensional ou bidimensional, de pequeno porte.
. Se tridimensional, a peça deverá ter, no máximo, entre 10cm e 20cm de diâmetro aproximado de base, sem ultrapassar 20cm de altura.
. Se bidimensional deverá também respeitar os limites de tamanho superficial de até 20cm com uma projeção de no máximo 15cm da parede, além de vir acompanhada de instruções de fixação, buchas e parafusos que forem necessários para de fixação da obra.
. A peça deverá ser entregue no atelier de cerâmica do Instituto de Arte ou enviada para endereço abaixo e estar embalada em plástico tipo bolha ou similar, devidamente identificada.
. Contribuição de R$ 20,00 de cada participante para despesas administrativas, coquetel de abertura, montagem da exposição e transporte. Os que entregarem pessoalmente as peças podem repassar o valor para os organizadores. Os que enviarem pelo correio deverão colocar o valor dentro da embalagem.


A/C Prof. Rodrigo Núñez

Rua Sr. dos Passos, 248 - Centro, Porto Alegre - RS - CEP: 90020-180
Sala de Cerâmica Fernando Corona – A, térreo do Instituto de Artes



Apoiadores:








ESPAÇO CULTURAL ALBANO HARTZ

Casa de cultura que abriga espaço para as artes, entidades de classe, sala de projeções e sala de exposições. Situado no calçadão de Novo Hamburgo, abriga a Pinacoteca Municipal e o Espaço Aberto.



Dúvidas, informações, sugestões e reclamações:

Roberto Bitencourt: telefone (51) 9347.132 e (51) 3471.7627


Links relacionados:




5ª mostra de vídeos sobre cerâmica artística - ECA/USP


O Departamento de Artes Plásticas da ECA-USP tem o prazer de convidá-los para a :

5ª Mostra de vídeos sobre cerâmica artística

Serão projetados vídeos sobre Cerâmica Artística, envolvendo seus processos criativos, técnicas e história.

Responsáveis: Profª Drª Norma Tenenholz Grinberg e Silvia Tagusagawa

Data: 30 de agosto de 2012 (quinta-feira)

Horário: 08h30 às 13h

Local: Escola de Comunicações e Artes da USP

Prédio Central – Sala da Congregação

Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 443

Cidade Universitária - São Paulo/SP - 05508-020

Entrada Franca

Informações e inscrições por email : extensao.cap@usp.br  (com Raul)

exposição inaugural. Museu Assis Chateaubriand - MAC, Campina Grande


Exposição Inaugural
Acervo Assis Chateaubriand
Artistas Paraibanos Modernos e Contemporâneos

Curadoria Raul Córdula

Alice Vinagre/Braz Marinho/ Célia Araújo/
Chico Dantas/ Chico Pereira/ Dyógenes Chaves/
João Lobo/ Jackson Ribeiro/ Luiz Barroso/
Manuel Dantas Suassuna/ Marcelo Coutinho/
Marlene Almeida/ Rodolfo Athayde/ Rosilda Sá/
Simeão Leal

Inauguração: 5 de junho às 19h
Exposição: até 30 de setembro 2012 


MAC  UEPB
Rua João Lélis, 581 - Catolé - Campina Grande - Paraíba
(83) 3337.3637

link:













 









Máster "Cerámica: Arte y función"





Estimad@s amigos,


Os envío información sobre el máster que el próximo curso 2012/13 comienza a impartirse en la Universidad del País Vasco.

Las personas interesadas en cursar el Máster "Cerámica: Arte y función" ya pueden realizar la preinscripción ON LINE que permanece abierta hasta el 30 de Mayo.

La documentación requerida está disponible en la web: http://www.masterceramica.ehu.es/

Se ruega difusión

Saludos,

http://www.angelgarraza.com/

diálogos poéticos





Mercedes Viegas arte contemporânea

Rio de Janeiro

até 14 de abril de 2012








Imagens Amadas, 2010 (obra em processo)

terracota pintada, pregos

dimensões variáveis

fotos Julia Vaz




Inventário, 2010 (obra em processo)

fotografias sobre foam board, prateleiras de madeira

dimensões variáveis

fotos Julia Vaz












DIÁLOGOS POÉTICOS:



o fazer cerâmico híbrido


Como mostrar a relação que as pessoas mantêm com seus objetos cerâmicos utilitários no cotidiano, contaminados de afetos, que celebram tanto momentos triviais quanto importantes de suas vidas e, por vezes, se transformam em relíquias? Essa foi uma das questões presentes na gênese das obras Inventário e Imagens Amadas, apresentadas nesta exposição. Embora envolvidas em processos poéticos distintos, as obras dialogam entre si.


Inventário mostra a banalidade e o requinte da vida cotidiana, as cenas domésticas aleatórias ou as propositalmente organizadas e apresenta o potencial da cerâmica utilitária (poteria e louça fina) enquanto imagem fotográfica, que revela a funcionalidade, a obsolescência, os ritos diários, o que guardam de lembranças. A obra reconfigura o sentido da cerâmica na medida em que expõe as fotografias sobre prateleiras – elas são apreendidas, também, enquanto objetos, a representação da representação. Uma síntese visual híbrida entre fotografia e cerâmica.



A instalação Imagens Amadas é composta por vasta tipologia – desenhos coloridos de terracota, contornos de vasos, jarros, panelas, vasilhas, bules, xícaras etc. – montada sobre as paredes, gerando um espaço imersivo, híbrido entre cerâmica e desenho. O processo poético está centrado na produção artesanal da linguagem tradicional da cerâmica popular, na queima em forno a lenha, no trabalho colaborativo.


Da mesma maneira que fui recebida por várias pessoas em seus lares para a produção da série fotográfica, as recebi em meu ateliê e modelamos os desenhos das formas utilitárias de cerâmica, tanto as historicamente construídas como as que predominam nos arquivos visuais e afetivos meus e delas.


A familiaridade naturalmente revelada pelas pessoas em torno desse tema facilita a entrega sensível, necessária à construção de nexos participativos, de diálogos – afinal, só amamos o que conhecemos, o que nos foi ofertado experienciar.

Rosilda Sá, fevereiro de 2012


LINK_texto: