BOLAS (da série BRINCAR)







Composta por objetos utilitários de terracota, bolas coloridas de plástico, bolas de porcelana pintada, bolas de vidro (gude) e bolas de isopor, para serem dispostas, preferencialmente, sobre a grama ou a areia, a obra BOLAS (2010), da série BRINCAR, é interativa, aberta à participação do público, ou seja, ela só faz e tem sentido com esta finalidade, onde os objetos utilitários de terracota e as bolas diversas (material, cores, aparência, textura etc) ativam os sentidos do público. Sem disposição prévia, a obra está disponível para tocar, jogar, brincar, modificar etc, construindo inumeráveis montagens e disposições. Obra com caráter efêmero, pois é distribuída com o público, especialmente as crianças, e com isso, a cada nova montagem incorpora diferentes objetos utilitários de cerâmica e bolas diversas. A obra subverte a funcionalidade lógica e objetiva do vaso, milenarmente transmitida de guardar líquidos e alimentos, pois, ela não deixou de ser funcional, na medida em que foi usada para uma ação estética, também lúdica, guardar brinquedos, neste caso, bolas diversas.

Uma das versões está participando da exposição coletiva GUARDAR, no jardim do Museu Histórico de Santa Catarina, em Florianópolis, de 10 de dezembro de 2010 a 13 de março de 2011, promovida pelo Grupo de Ceramistas Bando de Barro. Pela proposta da exposição a obra dialoga com o conceito do verbo guardar.



Um comentário:

  1. luiz quirino20 junho, 2011

    É na simplicidade de um vaso e no requinte do detalhe da esfera é que vemos a pessoa maravilhosa que és !!

    ResponderExcluir