Sistemas Elementares de Queima: uma alternativa para as aulas de cerâmica

SISTEMAS ELEMENTERES DE QUEIMA: uma alternativa para as aulas de cerâmica (monografia)

Considerando a inexistência de fornos cerâmicos numa parcela das escolas públicas no município de João Pessoa – PB, justificada pela falta de dotação orçamentária, apresentam-se neste trabalho, modos simplificados, iniciais e economicamente acessíveis, com ênfase na tecnologia primitiva (praticada desde a Pré-História), ligada à queima e aos fornos para a obtenção da cerâmica de baixa temperatura (chamada terracota); no intuito de que a cerâmica não seja suprimida das propostas pedagógicas das escolas, nem dos programas dos professores que lecionam a disciplina Arte. Enfocam-se as aplicações e limitações, as construções e manuseios, apresentando vários sistemas de queima: a fogueira, o buraco, os fornos de estrutura fixa e as queimas alternativas (a exemplo do forno de papel). Destaca-se a queima como principal etapa do processo cerâmico, por transformar irreversivelmente a argila crua numa nova matéria. Esses sistemas de queima, por estarem ligados aos processos poéticos de diversos ceramistas, revelam-se em obras indígenas, populares e eruditas, apresentadas num capítulo sobre a História da cerâmica. Com isto, discute-se acerca da democratização e diversidade cultural no ensino de Arte (particularmente as artes visuais) no contexto escolar; centrado nas escolas com suas infra-estruturas, nos professores e seus programas, e nos alunos com suas bagagens sócio-culturais.

SÁ, Rosilda. Sistemas elementares de queima: uma alternativa para as aulas de cerâmica. João Pessoa, 2001. Monografia (Especialização em Artes). Departamento de Artes. Universidade Federal da Paraíba.

Orientadora Profª Marília de Oliveira Garcia Diaz

disponível para empréstimo:

biblioteca central da ufpb, campus I, joão pessoa


biblioteca da Escola de Belas Artes, ufba, salvador

Nenhum comentário:

Postar um comentário